Estado de Goiás

Mestrados apontam êxitos do CEAR junto à comunidade acadêmica  

Aprovação de colaboradora, tutores e alunos reforçam a ênfase qualitativa da educação em rede do CEAR

 

Superando o estigma que, erroneamente, tenta apontar diferenças entre o ensino não presencial e o presencial, os alunos do CEAR têm mostrado sucesso em processos seletivos de pós graduação - tanto lato quanto stricto sensu - e em concursos públicos. Gilmara Barbosa de Jesus é a mais nova representante deste grupo. Aluna da graduação pela UEG e também pelo CEAR, foi aprovada no Programa Interdisciplinar em Educação, Linguagem e Tecnologias (MIELT) neste semestre. Gilmara exprime a superação diária que é conquistar um diploma de nível superior e continuidade após o bacharelado. “Nesses últimos semestres, o curso foi primordial para a minha formação e até mesmo atuação profissional”, expôs.

Além dos esforços individuais, Gilmara também denotou a importância da qualidade do ensino oferecido no CEAR: “O nosso tutor no curso, por exemplo, nos motiva sempre a pesquisar e a nunca parar de aprender, além de procurar novos desafios”. A qualidade docente indicada por Gilmara está vinculada à ênfase da Universidade na qualificação de seus colaboradores técnicos, professores e tutores.

Tutores no curso de Administração Pública, Clayton Corrêa de Almeida é também um dos novos mestrandos do CEAR. Ainda com relação aos tutores, Paulo Roberto Bento, egresso da 1ª turma do curso de Administração Pública, concluiu seu mestrado no DF. Entre tutores, coordenadores e professores, o CEAR atualmente possui 6 doutores, 24 mestres e 10 especialistas.

O destaque entre os selecionados neste nível de formação é de Lilian Cristina, colaboradora da equipe de Desenho Educacional no CEAR. Selecionada em primeiro lugar para o programa do MIELT, com um projeto voltado à tecnologia de educação inclusiva para deficientes visuais em dispositivos móveis, Lilian está no corpo técnico do CEAR desde 2007 e coleciona elogios de toda a equipe. 

O diretor do CEAR, Valter Campos, ressalta a qualidade da atuação da colaboradora que, ao longo do período no CEAR, cursou duas especializações em psicopedagogia e vem atuando no âmbito da acessibilidade de pessoas com deficiências às plataformas de ensino a distância. Wanessa Costa, gestora da equipe de Desenho Educacional, reforça a superação cotidiana de Lilian: “Ela superou todas as nossas expectativas quanto à sua atuação profissional e acadêmica. É uma pessoa ímpar”, afirmou a gestora. 

O ponto mais importante rumo à acessibilidade de pessoas com deficiência visual total é, segundo Lilian, a insegurança da academia e da sociedade quanto ao modo de executar suas tarefas. “O novo assusta as pessoas mas, aos poucos, começam a perceber que só a forma de atuação é diferente. Os resultados podem ser os mesmos de todos”.

A superação de Lilian é ainda maior dada a primeira colocação no processo de seleção para o mestrado. Segundo ela, as atividades que consegue desempenhar no CEAR mostraram uma infinidade de possibilidades que nem ela mesma percebia anteriormente. “Há alguns anos, poderia ser inimaginável (a integração de deficientes visuais na elaboração de produtos educacionais). Com o projeto, tem sido possível almejar uma realidade diferente para a pessoa cega. O 'Braille Ecrã' é um aplicativo de celular muito recente onde a digitação toda é feita por meio do sistema Braille”, explicou Lilian.

Ela ressalta a acessibilidade promovida por aplicativos como esse e outros específicos de leitura de tela na inclusão de pessoas com deficiência visual em meios acadêmicos. Conclui ainda que tais softwares permitem ao deficiente visual usar aplicativos de mensagem em celulares e acessarem centenas de informações na rede com autonomia, uma inclusão tanto acadêmica quanto social.

O CEAR, junto à UEG, busca promover, estimular e valorizar a formação continuada dos estudantes, egressos e profissionais inseridos em seu cotidiano, como professores, tutores e servidores. O Programa Anual de Capacitação Continuada de Profissionais em EaD (PACC) e o PEAR (Programa de Ensino e Aprendizagem em Rede) são alguns dos programas que denotam este viés de formação continuada, ampla e qualificada defendido pelo CEAR.

liliancristina

 
Comunicação, Mídias e UX - CEAR | 2017
comunicacao.cear@ueg.br
Notícia publicada em 15/12/2017